Amigos de dois cristãos iranianos presos, Mohammed Roghangir e Massoud Rezai, pedem oração para eles e suas famílias, já que foram impedidos de obter libertação antecipada por bom comportamento.

Mohammed e Massoud estavam entre os sete cristãos de origem muçulmana presos em uma reunião de oração em 12 de outubro de 2012, como parte de uma ampla campanha de intimidação pelas autoridades iranianas contra os cristãos e outras minorias religiosas.

Em julho de 2013 os presos foram condenados por “ação contra a segurança nacional” e “propaganda contra a ordem do sistema”. Mohammed recebeu uma sentença de seis anos e Massoud cinco anos, enquanto os outros (que já foram libertados) receberam sentenças variando de um a cinco anos. Após a rejeição de um recurso, eles foram convocados à prisão de Adel Abad e começaram a cumprir suas penas em julho de 2014.

O tempo gasto em detenção antes do veredito ser dado é deduzido da sentença, e sob a lei iraniana um condenado tem direito a libertação antecipada por bom comportamento. Portanto, Mohammed e Massoud solicitaram ao Ministério Público a libertação no início de março de 2016. No entanto, ficou claro no final de setembro que a inteligência iraniana impediu o promotor de permitir o pedido de soltura.

Mohammed, um líder da igreja local, tem sido pressionado pelas autoridades para concordar a deixar o Irã quando ele finalmente for libertado da prisão, e acredita-se que esta ação pelo serviço de inteligência seja em resposta à sua determinação de permanecer. Muitos líderes cristãos no Irã são perseguidos na medida em que eles eventualmente deixam o país, deixando a igreja cristã a crescer sem muitos pastores treinados e capazes.

Os cristãos iranianos pedem nossas orações para que:

  1. Mohammed e Massoud sejam confortados e libertados em breve;
  2. Suas famílias sejam confortadas nesse momento de decepção, quando anteciparam a libertação de seus entes queridos;
  3. Todos os prisioneiros no Irã sejam tratados com respeito e dignidade como seres criados à imagem de Deus;
  4. Todos os funcionários envolvidos exerçam misericórdia, ajam justamente, aprendam sobre Jesus e escolham segui-lo.

Fonte: Middle East Concern