Amigos do pastor Behnam Irani têm o prazer de anunciar que ele foi libertado após seis anos de prisão no Irã.

Behanm Irani, da autointitulada “Igreja do Irã”, recebeu uma sentença suspensa de cinco anos em 2008, depois de ser acusado de ação contra a segurança nacional.

Ele foi preso novamente em 2010 durante um culto doméstico, e em maio de 2011 foi convocado a cumprir uma pena de um ano por novas acusações de ação contra a segurança nacional, para a qual a pena suspensa de cinco anos foi adicionada posteriormente.

Behnam estava detido na prisão de Ghezel Hesar, em Karaj, e sofreu sérios problemas de saúde, muitos relacionados ao abuso físico recebido das mãos dos companheiros de prisão. Em 22 de fevereiro de 2014, ele foi levado ao hospital para uma operação para estancar o sangramento do estômago e cólon.

Em setembro de 2014 ele foi acusado de “Mofsed-e-filarz” – um crime capital traduzido como “espalhar a corrupção na Terra”. A acusação de Mofsed-e-filarz foi retirada posteriormente naquele mês e substituída por acusações de “ação contra a segurança nacional” e “criação de uma rede para derrubar o sistema”; ele foi colocado em confinamento solitário. Em 19 de outubro de 2014, Behnam foi condenado a mais seis anos de prisão e exílio em Zabol, na fronteira do Afeganistão. Em 9 de dezembro de 2014, as acusações e as sentenças adicionais foram retiradas após recurso.

Em agosto de 2016, Behnam foi informado de que sua libertação ocorreria em outubro. Ele foi libertado da prisão na noite de ontem (17 de outubro).

Os amigos estão agradecidos pela libertação de Behnam, mas pedem oração para que:

  1. Benham venha se alegrar em breve reunido com sua esposa Kristina e seus filhos Rebecca e Adriel;
  2. Deus ajude-o a se adaptar à vida fora da prisão, e recupere-o física e emocionalmente dos difíceis momentos passados em detenção;
  3. Todos quantos continuam detidos no Irã, os que aguardam vereditos, e aqueles com expectativa de serem convocados para enfrentar acusações relacionadas à sua fé e atividades cristãs, venham a experimentar a paz e a proteção de Deus;
  4. Todos os funcionários envolvidos exerçam misericórdia, ajam com justiça, aprendam sobre Jesus e escolham segui-lo.

Fonte: Middle East Concern